Livros


A MÃO QUE ESCREVE: ENSAIOS DE LITERATURA PORTUGUESA

Cerdeira, Teresa (org.) Casa da Palavra, 2014
ISBN: 9788577344864    

Desvende a parte mais humana de grandes autores portugueses. Percorrendo obras de autores consagrados do século XVI ao XXI, como Camões, Jorge Sena, Fernando Pessoa, António Lobo Antunes e José Saramago, a missão de Teresa Cerdeira nessa coletânea de ensaios é revelar a marca do escritor em sua obra.No entanto, não se trata de reduzir os escritores de acordo com cada trauma pessoal do autor e o que o fez escrever seu livro, mas de enxergar o que há de universal no homem e que é maestralmente expresso pelas mãos do artista. Interessa à autora, pois, neste conjunto de ensaios, recobrar justamente esse corpo presente na escrita, a circulação de suas linguagens, sua pulsação que pode ser rastreada em imagens, em construções reiteradas, em metáforas recorrentes, em formas de pensamento que se repetem.Pela construção dos ensaios, fica visível que Camões dialoga com Jorge Sena, Helder Macedo dialoga com Machado de Assis, José Saramago dialoga com a Bíblia, entre outros encontros; trocando heranças culturais que fazem parte do imaginário popular, impressões pessoais (e universais) sobre a metáfora do rio e outras imagens, desejo do homem representado pelo erotismo entre outras questões que perpassam a literatura do ocidente e que nunca deixaram de instigar a percepção dos grandes artistas.







AFETO & POESIA. ENSAIOS E ENTREVISTAS. ANGOLA E MOÇAMBIQUE

Secco, Carmen Tindó(org.) Rio de Janeiro: Oficina Raquel, 2014
ISBN: 9788565505307

Encontro fulgurante na experiência humana se dá quando os afetos, diversos e de diversas ordens, tocam a linguagem. Dentro da língua - no caso, a portuguesa, com temperos africanos-, esse encontro se chama poesia. Carmén Tindó, destacada professora e pesquisadora das Literaturas Africanas de Língua Portuguesa, mestra de mais de uma geração de pensadores em português que estudam as letras africanas, entende os afetos "não como meros sentimentos ou emoções, mas como pulsões que atingem o âmago do corpo e do espírito humanos".
Neste livro, ensaios sobre as literaturas de angola e Moçambique se encontram com sensíveis entrevistas, em que Carmén deu a palavra a moçambicanos e angolanos fundamentais, como Mia Couto, Ondjaki, Luis Carlos Patraquim e vários outros. As reflexões e os diálogos aqui reunidos permitem ao leitor conhecer mais de perto as literaturas dos dois países, e sobretudo, provar o mais  gosto do entrelaçamento entre palavra e afeto. Poesia, enfim.

 


ENSINO DE PORTUGUÊS E SOCIOLINGUÍSTICA 

Vieira, Silvia Rodrigues(org.)  São Paulo, Editora Contexto. 2014
ISBN: 9788572448680

As orientações oficiais para o ensino de português nas escolas já propõem o reconhecimento e o respeito às variedades linguísticas. Contudo essas orientações não estão sendo devidamente praticadas. O que vemos é a variação e a diversidade permanecendo estereotipadas e o preconceito linguístico se perpetuando sob o mito de que existe uma única norma. Neste livro, um time de especialistas se reúne para mostrar aos professores como trabalhar em sala de aula a diversidade existente no português brasileiro. Sob o olhar da Sociolinguística, eles fornecem reflexões e sugestões para se construir uma prática pedagógica que respeite e amplie a bagagem comunicativa que os alunos já têm. Obra especialmente escrita para ajudar professores e futuros professores a trabalharem a inclusão das várias línguas que falamos.






MAR NEGRO 

Bastos, Dau(org.)  Rio de Janeiro, Ponteio. 2014
ISBN: 9788564116672

Em um país exaurido por modelos de beleza que deixam em seu rastro um deserto de ideias e sentimentos, eis que o escritor Dau Bastos, em seu quinto romance, tira da cartola uma personagem endiabrada, de uma autenticidade ímpar, que brilha pelo oposto e daí extrai sua força e originalidade. Nossa feia heroína se autoproclama mocreia, bagulho, jabureia, troncha... Representa, assim, por força de seu desespero — mas também pela poesia e beleza inerentes à sua agonia —, um surpreendente achado literário".Edgard Telles RibeiroAnderline é uma alagoana extremamente feia que foge para as terras sombrias do Leste Europeu, onde espera esconder os tristes traços e escapar a uma insuportável dor de cotovelo. Começa a viagem pela Alemanha, mas logo passa a países de uma modéstia compatível com seu apertado orçamento: Polônia, Hungria, Romênia, Bulgária e Turquia.Nas diferentes paradas, esparge a afrodisíaca fragrância de feromônio e acaba conquistando um hell’s angel alemão, um faxineiro equatoriano, um soldado romeno, um jovem polonês estalinista, um albergueiro jordaniano e outros homens. Parece provar que, diferentemente do que disse o poeta, a inteligência, sim, é fundamental.Mas o carma de desamada dá margem a pensar que o Mar Negro não somente é destino final, como verdadeira sina. No entanto, a mochileira insiste em se agarrar à esperança e, ao chegar a Istambul, consegue a proeza de transformar a sufocante burca em anteparo para urdir uma relação duradoura.Dau Bastos mostra-se um autor criativo e ousado, de uma liberdade imensa, que promove uma interlocução com grandes momentos da nossa literatura regional e urbana, e que revela nesta viagem uma narrativa virtuosa pela qual a protagonista sangra, drena e purifica o seu mar negro interior.


ALENCAR: O COMBATENTE DAS LETRAS 

Bastos, Alcmeno(org.)  Rio de Janeiro, 7 LETRAS/FAPERJ. 2014
ISBN: 9788542103090

José de Alencar, mais do que o pai do romantismo nacional, conhecido pela autoria de romances como Iracema, O Guarani, Ubiraja, era também um escritor de punho bélico, comprando brigas literárias e políticas e muitas polêmicas ao longo da sua vida. É sobre esse lado desconhecido do grande público que Alcmeno Bastos se debruça em Alencar: o combatente das letras, revelando como as lutas do autor do século XIX iam além da criação de um movimento romântico literário brasileiro.A obra reúne alguns dos mais relevantes textos de intervenção crítico-teóricos nascidos da “pena combativa” de José de Alencar. Produzidos ao longo de 20 anos de vida literária, esses escritos incluem célebres “polêmicas” com notáveis da época, além de depoimentos, de cunho pessoal, sobre as motivações de sua escrita literária, sobre as tentativas de sistematizar a própria obra e a produção literária brasileira.O resultado da pesquisa de Alcmeno revela um José de Alencar que, mais do que se esforçar por criar uma literatura de “cor local”, queria libertar a literatura brasileira das amarras dos moldes europeus.

 




                                                                                                                    

ASPECTUALIZAÇÃO PELA ANÁLISE DE TEXTOS 

Organizadora: Regina Souza Gomes(UFRJ)


O e-book organizado por Regina Souza Gomes, Aspectualização pela análise de textos, traz uma importante contribuição para os estudos sobre o discurso. O conceito de “aspectualização”, ainda pouco explorado, vem ganhando espaço no cenário atual da semiótica discursiva.
Definido por Greimas e Courtés (2008), no Dicionário de Semiótica, como um “procedimento discursivo de instauração de um ponto de vista”, falta homogeneidade no tratamento das questões ligadas à aspectualização. As diferentes abordagens da “aspectualização” são apresentadas ao longo dos capítulos que compõem a obra.
Regina Souza Gomes vem se preocupando com o conceito de aspectualização há certo tempo, sendo responsável pela coordenação de projetos e pela organização de cursos ligados ao tema.
O e-book Aspectualização pela análise de textos apresenta os resultados (trabalhos de conclusão de curso) de disciplinas ofertadas pela organizadora.
A diversidade de questões trazidas ao longo dos capítulos perpassa a aspectualização temporal, a aspectualização actancial, a aspectualização passional e, enfim, a aspectualização espacial. 

 





ARGUMENTAÇÃO – UM ESTUDO DA MACRO E DA MICROESTRUTURA TEXTUAL

Organizadora: Lúcia Helena Martins Gouvea(UFRJ)

Este e-book reúne oito artigos produzidos por alunos dos cursos de Mestrado e Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Letras Vernáculas da Faculdade de Letras da UFRJ, por ocasião do curso ministrado pela Prof. Dra. Lúcia Helena Martins Gouvêa em 2012/02.
O curso, versando sobre argumentação, apoiou-se em duas linhas teórica: a Semiolinguística do Discurso, de Patrick Charaudeau, e a Teoria da Argumentação na Língua - nas suas duas primeiras fases - , de Oswald Ducrot e Jean Claude Anscombre . Como o objetivo era estudar o processo da argumentação tanto do ponto de vista da macro estrutura textual quanto do ponto de vista da microestrutura, coordenaram-se as duas teorias , usufruindo de suas diferenças e considerando-se um ponto de interseção entre elas.







REFERENCIAÇÃO E ENSINO: ANÁLISE DE LIVROS DIDÁTICOS

Organizadora: Leonor Werneck(UFRJ)

ISBN: 978-85-8101-011-3

 
Este e-book é composto de oito artigos elaborados como trabalho de conclusão do curso de pós-graduação “Leitura, referenciação e argumentação em gêneros textuais jornalísticos”, oferecido por mim, no primeiro semestre de 2012, na Faculdade de Letras da UFRJ. O objetivo principal desta publicação é divulgar debates teóricos que travamos durante o curso sobre referenciação, argumentação e a aplicação desses temas ao ensino, por meio da análise de alguns livros didáticos de Ensino Fundamental e Médio, especificamente a partir de textos midiáticos. 382 páginas






PAULINA CHIZIANE: VOZES E ROSTOS FEMININOS DE MOÇAMBIQUE

Secco, Carmen Tindó(org.) Rio de Janeiro: Appris , 2013
ISBN:9788581922867

Vozes e rostos femininos de Moçambique, traz a escritora moçambicana Paulina Chiziane para o centro de uma roda crítica, deixando-a falar pelas vozes de muitos dos que a leram e acabaram por estabelecer, com ela, uma espécie de contracanto muito significativo. Na primeira parte, encontram-se dezenove ensaios sustentados por diversos olhares e aparatos teóricos; na segunda parte, vêm os depoimentos variados que têm como objetivo registrar o apreço de muitos escritores e pesquisadores pela escritora estudada; ao final do volume, há um elenco de teses e dissertações assinadas por professores pós-graduados, cujos trabalhos reforçam a fortuna crítica já existente sobre a autora. Como não podia deixar de ser, era preciso trazer também a voz da própria autora, o que ocorre por meio de duas entrevistas feitas à Paulina.





DANTE MILANO OBRA REUNIDA

Gesteira, Sergio Martagão(org.) Rio de Janeiro: Academia Brasileira de Letras , 2013.
ISBN 9788574400778

 Embora egresso do modernismo de 1922, Dante Milano é, na verdade, anterior ao movimento modernista, do qual participou à distância e ao qual, efetivamente, jamais se filiou nem durante nem depois da festiva e turbulenta década de 1920. Não há dúvida de que apoiou o movimento, pois nele via, como todos os artistas da época, um caminho de libertação estética. A rigor, entretanto, o Modernismo pouco ou nada teria a oferecer-lhe em termos de subsídio literário ou de plataforma estética. E mais: à época da agitação modernista, o poeta Dante Milano já estava pronto, infenso, portanto, a quaisquer aquisições mais profundas e radicais do ponto de vista formal, ainda que aberto e sensível às conquistas expressionais do movimento. Por outro lado, dizer-se que, entre 1920 e 1948 - quando saiu a primeira edição das Poesias -, haja ele se conservado na condição de bissexto não procede: Dante escrevia muito - e muitíssimo destruiu do que escreveu -, conquanto nada publicasse em livro até aquela data. A que se deve, então, esse altivo silêncio, essa monástica reclusão, esse obsessivo mutismo editorial - cúmplice, talvez, daquela "vocação póstuma" a que já aludimos? É o que tentaremos decifrar, leitor, se possível com o teu benévolo e empático beneplácito. [...] [Ivan Junqueira em "Dante Milano: o pensamento emocionado"].

 



GRAMATICALIZAÇÃO, COMBINAÇÃO DE CLÁUSULAS, CONECTORES

 Rodrigues, Violeta Virginia (org.) Rio de Janeiro: WalPrint Gráfica & Editora, 2013
ISBN 9788562109072

 
O livro reúne sob as rubricas ensino de língua materna, ensino de língua estrangeira e formação de professores, doze capítulos que discorrem sobre temas como gêneros, lexicogramática e iconicidade, metáfora e cognição, ensino da redação, letramento, pesquisas em ambientes virtuais, livros didáticos, cultura, sujeitos, discursos, o agir professoral. O volume oferece aos potenciais leitores das subáreas de Linguística Aplicada e Ensino de Línguas um leque de propostas, enquadres teóricos e práticas vivenciadas, que poderão enriquecer seus estudos, pesquisas e práticas pedagógicas.

 








DE VENCEDORES VENCIDOS: MACHADO & EÇA NUM ENCONTRO

 
Figueiredo, Monica (org.) Rio de Janeiro:UEA, 2013
ISBN 9788578832254

O que esta obra investiga é a existência de personagens como Bento Santiago (Dom Casmurro) e Carlos Eduardo da Maia (Os Maias), criaturas que, mesmo protagonizando romances concebidos pelos melhores representantes da escola realista no Brasil e em Portugal - Machado de Assis e Eça de Queiroz - são exemplos irretocáveis de pretensos ou supostos vencedores que foram vencidos. De certa forma, o que se quer entender é como um século que apostou no progresso e no desenvolvimento, que estabeleceu valores norteadores nos dois séculos vindouros, também foi capaz de gerar uma literatura criadora de heróis adoecidos, inaptos e superficiais, todos incapazes de um único gesto que justificasse o orgulho histórico que, não raras vezes, acompanhou o tempo referencial que o fez nascer.





ENSINO-APRENDIZAGEM NA PERSPECTIVA DA LINGUÍSTICA APLICADA

 
Gerhardt, Ana Flávia Lopes Magela (org.) Rio de Janeiro:Pontes, 2013
ISBN:8571134618

O livro reúne sob as rubricas ensino de língua materna, ensino de língua estrangeira e formação de professores, doze capítulos que discorrem sobre temas como gêneros, lexicogramática e iconicidade, metáfora e cognição, ensino da redação, letramento, pesquisas em ambientes virtuais, livros didáticos, cultura, sujeitos, discursos, o agir professoral. O volume oferece aos potenciais leitores das subáreas de Linguística Aplicada e Ensino de Línguas um leque de propostas, enquadres teóricos e práticas vivenciadas, que poderão enriquecer seus estudos, pesquisas e práticas pedagógicas.





A TELA DA DAMA: ENSAIOS DE LITERATURA

Cerdeira, Teresa (org.) Rio de Janeiro:Presença, 2013
ISBN 978975

 
A autora reúne neste livro várias propostas de leitura de textos produzidos por nomes marcantes da literatura portuguesa, que fazem a ponte entre século XX e século XXI. Como a própria Teresa Cerdeira nos adverte logo de início,
 A Tela da Dama é o nome emblemático deste percurso para que o leitor é convidado. Porque na tela como no texto (que também significa tecido) se cruzam os fios dos materiais com que é produzido o texto. Tal como a Dama comenta, na cantiga de amigo de Estêvão Coelho: «Avuitor comestes, que adivinhades», Teresa Cerdeira pratica um rito que tem algo de mágico, ao esventrar e mergulhar nas entranhas dos textos para os ler, seguindo a sua elaboração dentro de um jogo entre tradição e desejo, êxtase e erotismo. 

 

NO CORPO, NA CASA E NA CIDADE: AS MORADAS DA FICÇÃO

Figueiredo, Monica (org) Rio de Janeiro: Língua Geral, 2011.
ISBN 852503438x

Não se afobe não. Entre devagar neste livro, e disponha-se a percorrer os rastros que os corpos deixaram nos desvãos das casas de uma cidade ainda por descobrir. O eco de uma canção vem quase importunamente mesclar-se ao que escrevo sobre estas Moradas da ficção. Corpo, casa e cidade são aí concebidos como espaços embrionários da narrativa, como se os segredos da intimidade do corpo varassem o tempo por ficarem gravados em fundos de armários da casa habitada e na posta-restante da cidade ocupada. As canções não param de me perseguir, possivelmente porque também participam da finíssima arquitetura crítica de Monica Figueiredo, que expõe, diante do espelho, personagens de dois fins de século — o XIX e o XX —, como se elas lá estivessem para se mirar e para se confrontar no que as aproxima e no que inevitavelmente as distingue. A autora escolheu falar de literatura a partir de espaços do desejo feminino. Encontrou então, no corpo da Luiza de Eça de Queiroz, alguém que teve pressa e ardeu de desejo, mas precisou esperar em silêncio, se não milênios, ao menos um século, para que futuras amantes, explorando sua casa, seu quarto, suas coisas, sua alma, dessem resposta à pergunta que ela deixara pairando no ar: com que linguagem descobrir meu corpo, habitar minha casa, ocupar generosamente minha cidade?



CRUZ E SOUSA  - 0 POETA ALFORRIADO

Oliveira Neto, Godofredo (org.) Rio de Janeiro: Garamond,2010

ISBN 978-85-7617-191-1

João da Cruz e Sousa: pobre, negro, filho de escravos. Estas seriam as mais sinceras  e   corriqueiras descrições, se o Cisne Negro, com seu pescoço interrogador e imperioso de     poeta, não tivesse enfrentado mares de preconceiitos para ser "o poeta alforriado'. 
No vasto cenário preconceituoso do século XIX, Godofredo desenha de forma vigorosa       momentos decisivos da vida de Cruz e Sousa e as fragilidades humanas que por sua vezes também o impediram de caminhar. Em uma belíssima introdução, temos acesso a histórias até hoje desconhecidas pelas biografias anteriores. Mas o biográfo, por falta de   comprovações documentais, ressalva; "existiram realmente?", o que nos oferece o doce   sabor da curiosidade e da descoberta.
Godofredo, aqui, liberta o poeta para sempre da acusação de ter-se omitido das questões negras da época. Com uma linguagem autêntica e dinâmica, este perfil biográfico não deixa espaço para a respiração. Ao final, sentimos com toda força a liberdade do "poeta     alforriado".






ENSINO DE GRAMÁTICA: DESCRIÇÃO E USO

Brandão, Silvia e Vieira, Silvia (org.) Ensino de Gramática: descrição e uso. São Paulo: Contexto,   2007. 262 p.
ISBN: 85-7244-347-9

 

Esse livro constitui um desdobramento de dois cursos de extensão voltados para alunos dos cursos de Letras e professores de Língua Portuguesa dos níveis fundamental e médio, com o objetivo de enfrentar o grande desafio que se impôs quando uma grande massa de brasileiros trouxe às escolas seus falares, suas gramáticas particulares, não só expondo uma diversidade lingüística que, no ambiente escolar e nos livros didáticos, se fingia não existir, mas também impondo uma mudança radical nas práticas descritivas e pedagógicas. Organizado por Sílvia Rodrigues Vieira e Sílvia Figueiredo Brandão, docentes do Programa, a obra está estruturada em quatro seções. A primeira apresenta os conceitos que subjazem ao desenvolvimento da obra: gramática, variação e normas (Dinah Callou) e saberes gramaticais presentes na escola (Afrânio Gonçalves). A segunda se concentra em usos fatos lingüísticos: concordância nominal (Silvia Brandão), concordância verbal (Silvia Vieira), pronomes pessoais (Célia Lopes) e colocação pronominal (Silvia Vieira). A terceira trata de questões mais teóricas e descritivas: flexão e derivação (Carlos Alexandre), classes de palavras (Aparecida Pinilla), termos da oração, coordenação e subordinação (Maria Eugênia Duarte), correlação (Violeta Rodrigues). A última focaliza a concepção de texto como um ato comunicativo em que se concretizam fatos gramaticais trabalhados ao longo do livro: texto e contexto (Maria Aparecida Lino Pauliukonis). O livro resulta do crescente interesse em assumir uma posição objetiva frente à realidade escolar. Nesse sentido, a participação dos professores do Programa de Pós-graduação em Letras Vernáculas nessa iniciativa revela o compromisso do com a Extensão Universitária, de modo que sejam divulgadas as principais contribuições das diversas pesquisas desenvolvidas no âmbito do programa.

ESTUDOS GEO-SOCIOLINGUISTICOS


Cunha, Cláudia (org.). Estudos Geo-sociolingüisticos. Rio de Janeiro, UFRJ/Pós-Graduação em Letras Vernáculas. 2006. 
ISBN: 85-87241-06-0.

Este livro apresenta estudos geolingüísticos desenvolvidos por pesquisadores ligados à Universidade Federal do Rio de Janeiro e que se reuniram, em agosto de 2004, a propósito do I Seminário Regional do Projeto ALIB-RIO, realizado na Faculdade de Letras da UFRJ, pela equipe carioca do Projeto Atlas Lingüistico do Brasil. Os artigos recobrem quase meio século de história e evolução da área, seja no que tange à abrangência dos fenômenos lingüísticos observados (da tradicional abordagem fonética e lexical à inclusão de fatos morfológicos, sintáticos e prosódicos), seja no tocante às perspectivas teórico-metodológicas adotadas (da 1ª fase da dialectologia à incorporação dos preceitos da sociolingüística quantitativa laboviana). Esta nova perspectiva teórica, cujo nome de batismo ainda não se fixou - geo-sociolingüística, sócio-geolingüística - vem trazendo grandes contribuições para o conhecimento dos fatores brasileiros e, em especial, para o registro e a descrição da fala fluminense, contemplada em sete dos quatorze artigos que compõem este volume.

 



CRÍTICAS, QUEIXUMES E BAJULAÇÕES NA IMPRENSA BRASILEIRA DO SÉCULO XIX: CARTAS DE LEITORES


Barbosa, Afranio e Lopes, Célia (org.) Rio de Janeiro: Programa de Pós-Graduação em Letras Vernáculas/FAPERJ, 2006. 
ISBN: 85-87043-49-8


"O título geral do volume, Críticas, Queixumes e Bajulações na Imprensa Brasileira do século XIX, dá bem uma idéia dos temas abordados e as cartas aí incluídas permitem o levantamento historiográfico da vida social, política e cultural do Brasil do século XIX e também o registro do panorama lingüísticco do Brasil oitocentista. Textos jornalísticos, principalmente os de uma época em que começa a se delinear a modalidade brasileira da língua portuguesa, constituem um corpus de valor inestimável, não só porque retratam a nossa estruturação social, -- de que a língua é um reflexo direto --, mas também as condições históricas que antecederam a constituição de uma norma língüística explícita. Essa documentação coletada por vários pesquisadores em diferentes jornais de diversas regiões contribui, sem dúvida, para reconstrui o passado do português brasileiro, até hoje, como ontem, heterogêneo e plural. " Dinah Callou.





INICIAÇÃO AOS ESTUDOS MORFOLÓGICOS FLEXÃO E DERIVAÇÃO EM PORTUGUÊS


Gonçalves, Carlos Alexandre (org.) Rio de Janeiro:Contexto, 2005.
ISBN:  978-85-7244-635-8 

O que nos faz considerar "peixe" e "peixada" itens lexicais diferentes ou "peixes" uma modificação gramatical de "peixe"? Em que circunstâncias o acréscimo de um afixo amplia o vocabulário de uma língua? Essas e outras questões - das muitas controvérsias que caracterizam a delimitação dos dois principais tipos de operações morfológicas (flexão e derivação) - são estudadas neste livro.
Carlos Alexandre Gonçalves, pós-doutor pela Unicamp em morfologia-fonologia, discute as várias posições dessa problemática; desde as que defendem uma rígida separação entre flexão e derivação até as que negam a existência de fronteiras entre elas. Nesse sentido, analisa as duas operações como distintas ou como pólos de um continuum morfológico.

Destinado para alunos de graduação e pós-graduação em Letras e para professores de português, as diversas análises, conceitos, rediscussões e novas propostas fazem deste livro não só um manual de introdução aos estudos morfológicos do português, mas um roteiro para o aprofundamento das várias perspectivas, a partir das quais flexão e derivação vêm sendo abordadas na linguística contemporânea.









| HOME | CURSOS | PRODUÇÃO ACADÊMICA | CONTATO | INSTITUCIONAL |

posverna@letras.ufrj.br
Copyright © 2006 Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ