Corpo Docente

Critérios de Credenciamento de Novos Docentes

Aleria Lage

Aleria Lage

Lattes
Áreas de Atuação: Gramática Gerativa; Neurociência da Linguagem, com emprego da técnica de extração de Potenciais Relacionados a Eventos (ERP); Psicolinguística.
Temas de Investigação: Processamento e Representação da Linguagem no Cérebro; Princípios e Parâmetros; animacidade; concordância; Caso.
Resumo do currículo

Aleria Lage

Professor Adjunto do Programa de Pós-Graduação em Linguística da UFRJ e do Departamento de Linguística da UFRJ. Suas áreas de atuação são Gramática Gerativa; Neurociência da Linguagem, com emprego da técnica de extração de Potenciais Relacionados a Eventos (ERP); Psicolinguística. Está voltada principalmente para os temas: Processamento e Representação da Linguagem no Cérebro; Princípios e Parâmetros; animacidade; concordância; Caso. Seu projeto de pesquisa é o ANDS (Aspectos Neurofisiológicos da Derivação Sintática), do Programa de Pós-Graduação em Linguística da UFRJ. Seu projeto é associado ao projeto e laboratório ACESIN (Acesso Sintático), do mesmo programa. Foi Professor Adjunto Visitante do Programa de Pós-Graduação em Linguística da UFJF e da Graduação em Linguística da UFJF (2009-2010). Foi pesquisadora de Pós-doutorado em Linguística da UFRJ, bolsista de Pós-Doutorado da FAPERJ (2007-2009) e do CNPq (2006). Professor Adjunto Substituto de Linguística da UFRJ (2006-2007). Possui Doutorado em Linguística pela UFRJ (2005) e Mestrado em Linguística pela UFRJ (1992).

Alessandro Boechat de Medeiros

Alessandro Boechat de Medeiros

Lattes
Áreas de Atuação: Gramática Gerativa; Morfossintaxe; Semântica.
Temas de Investigação: Relações entre morfossintaxe e estrutura argumental dos verbos e outras classes de palavras; Estrutura sintática dentro das palavras.
Resumo do currículo

Alessandro Boechat de Medeiros

Possui graduação em Matemática pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1999), graduação em Licenciatura em Matemática pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2002), mestrado (2004) e doutorado (2008) em Linguística pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Foi bolsista da FAPESP de pós-doutorado no Departamento de linguística da FFLCH da USP de 2008 a 2010. Atualmente, é professor adjunto de Linguística do Departamento de Linguística e Filologia da UFRJ. Tem experiência nas áreas de Matemática e Linguística. Trabalha com Teoria e Análise Linguística, atuando principalmente nos seguintes temas: morfossintaxe da língua portuguesa, estrutura de eventos e argumentos do verbo, tempo verbal e aspecto.

Andrew Nevins

Andrew Nevins

Lattes
Áreas de Atuação: Teoria Fonológica, Línguas Indígenas, Morfologia Distribuída, Psicolinguística
Temas de Investigação: Harmonia Vocálica, Concordância Verbal, Morfossintaxe, Nasalidade, Parentesco, Desenvolvimento de Corpora e Ferramentas para Pesquisa
Resumo do currículo

Andrew Nevins

Possui graduação em ciências cognitivas e ciência da computação pelo Massachusetts Institute of Technology (2000), e doutorado em linguística pelo Massachusetts Institute of  Technology (2004). Atualmente é professor titular visitante na Universidade Federal do Rio de Janeiro, e professor titular na University College London. Tem experiência e produção em linguística, com ênfase em fonologia, morfologia, linguística experimental, e línguas indígenas.

Aniela Improta França

Aniela Improta França

Lattes
Áreas de Atuação: Neurociência da Linguagem; Processamento e Representação da Linguagem no Cérebro, Sintaxe e Morfologia Distribuída,
Temas de Investigação: Acesso Lexical; processamento de sentença, aquisição de linguagem
Resumo do currículo

Aniela Improta França

Aniela Improta Franca concluiu o doutorado em Linguística pela Universidade Federal do Rio de Janeiro em 2002, tendo estagiado no Cognitive Neuroscience of Language Lab da Universidade de Maryland, USA, no Instituto de Neurologia da UFRJ e no Ambulatório de AVC da UFF. É Professor Adjunto do Departamento de Linguística da Universidade Federal do Rio de Janeiro, membro do Conselho da Pós Graduação em Linguística e membro efetivo do Programa Avançado de Neurociência (PAN), também da UFRJ, onde atua como vice coordenadora. Desde 2006 coordena o Laboratório de Acesso Sintático – ACESIN. Atua na área de Teoria e Análise Linguística e em Neurociência da Linguagem. Tem trabalhos em colaboração com a Pós Graduação em de Engenharia Elétrica do CEFET-Rio, através da Professora Aline da Rocha Gesualdi e com o LAPIS (Laboratório de processamento de imagens e sinais biológicos) na COPPE-UFRJ, coordenado pelo Professor Antonio Fernando Catelli Infantosi. Atuou como Coordenadora do GT de Psicolinguística da Anpoll (Associação Nacional de Pós-graduação de Pesquisa em Letras e Linguística) no bienio 2008-2010. É atualmente Jovem Cientista do Nosso Estado da FAPERJ e Pesquisadora do CNPq.

Bruna Franchetto

Bruna Franchetto

Lattes
Áreas de Atuação: Teoria Gerativa, Fonologia, Morfologia, Sintaxe
Temas de Investigação: Línguas Indígenas (Amazônia Meridional), Interfaces fonologia, Morfologia, Sintaxe
Resumo do currículo

Bruna Franchetto

Possui graduação e mestrado na Faculdade de Filosofia – Università degli Studi di Roma La Sapienza (1975) e doutorado em Antropologia Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1986). É professor associado da Universidade Federal do Rio de Janeiro, docente do corpo permamente do Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social do Museu Nacional e professor colaborador da pós-graduações em Linguística e Arqueologia. Tem experiência e produção em etnologia e linguística, com ênfase em Línguas Indígenas, atuando principalmente nos seguintes temas: Alto Xingu, línguas indígenas brasileiras (karib e aruak), documentação linguística, teorias da gramática, tradições orais indígenas, artes verbais, antropologia da educação escolar indígena. Coordena os Projetos ‘Documentação de línguas indígenas: exploração de fatos gramaticais, históricos e etnolinguísticos a partir de arquivos multimídia’ (CNPq PQ Ib) e o Programa de Documentação de Línguas Indígenas-PRODOCLIN, iniciativa Museu do Índio e UNESCO. Coordenou o projeto Levantamento Sócio-Linguístico e Documentação da Língua e das Tradições Culturais das Comunidades Indígenas Nahukwa e Matipu do Alto Xingu (Edital CFDD/MJ e IPHAN/INDL, 2009-2010). Coordenou de 2006 a 2008 o projeto ‘Evidências linguísticas para o entendimento de uma sociedade multilíngue: o Alto Xingu , Edital Universal MCT/CNPq 02/2006. É assessor/consultor do Instituto Socioambiental, da UNESCO, dos Programas internacionais para a documentação linguística (línguas ameaçadas) DOBES (Alemanha) e SOAS (Reino Unido); da National Science Foundation (EUA). É membro dos conselhos editoriais da revista Mana – Estudos de Antropologia Social (0104-9313), do Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi (0077-2232). parecerista do Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi (0077-2232), Cadernos de antropologia e imagem (0104-9658), – Ciência Hoje (0101-8515), – Identities-Global Studies in Culture and Power (1070-289X), Mana – Estudos de Antropologia Social (0104-9313), Science, entre outros. Membro Titular do Conselho de Ensino para Graduados e Pesquisa (CPEG) da UFRJ, 2005-2007. – Membro do Comitê de avaliadores externos no seminário de Análise de Cenários e Formulação de Macro-estratégias do Planejamento Estratégico do Museu Goeldi (MCT). Salinópolis (Pará), de 13 e 14 de outubro de 2005. Membro da Associação Brasileira de Antropologia (ABA), Membro da Comissão de Assuntos Indígenas, de out. 1988 a out. 1990 e de outubro 2002 a outubro de 2004. – Associação Brasileira de Linguística (ABRALIN), Coordenadora Científica da área Línguas Indígenas do Congresso e Instituto de Verão da ABRALIN, gestão 2006-2007.

Celso Vieira Novaes

Celso Vieira Novaes

Lattes
Áreas de Atuação: Teoria Gerativa, Teoria Linguística e Patologias da Linguagem
Temas de Investigação: Traços formais e operações linguísticas em indivíduos com patologia da linguagem, Diferenças morfológicas entre línguas e aprendizado de línguas estrangeiras.
Resumo do currículo

Celso Vieira Novaes

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade de Brasília (1978), mestrado em Educação pela Universidade de Brasília (1982), doutorado em Linguística pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1996) e pós-doutorado em Afasiologia Linguística pela Universidade de Montreal (Canadá). Atualmente é professor associado do Departamento de Linguística e Filologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Neurolinguística, atuando principalmente nos seguintes temas: afasiologia linguística e sintaxe. Possui artigos publicados em revistas nacionais e internacionais.

Christina Abreu Gomes

Christina Abreu Gomes

Lattes
Áreas de Atuação: Variação e mudança, Aquisição, Contato
Temas de Investigação: Variação fonológica e sintática, Relações fala-escrita
Resumo do currículo

Christina Abreu Gomes

possui graduação em Letras Português Francês pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1980), mestrado em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal de Minas Gerais (1987) , doutorado em Linguística pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1996), pós-doutorado na University of York, UK (2004). Atualmente é professor associado 2 da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Variação e Mudança, atuando principalmente nos seguintes temas: variação e mudança linguística e, mais recentemente, a aquisição de língua materna, com foco na emergência de padrões fonológicos e morfológicos variáveis do português brasileiro.

Gean Nunes Damulakis

Gean Nunes Damulakis

Lattes
Áreas de Atuação: Teoria Gerativa, Fonologia, Variação e Mudança
Temas de Investigação: línguas Macro-Jê, análise formal da variação fonológica, interface fonologia/morfossintaxe, reconstrução fonológica de protolínguas
Resumo do currículo

Gean Nunes Damulakis

Gean Damulakis possui Bacharelado e Licenciatura em Letras Português-Alemão (2002), Mestrado (2005) e Doutorado (2010) em Linguística pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Atualmente é professor adjunto no Departamento de Linguística e Filologia da UFRJ e atua no Programa de Pós-Graduação em Linguística da mesma instituição. É pesquisador associado do Museu Nacional/UFRJ. Tem experiência nas áreas de ensino de Língua Alemã, Língua Portuguesa e Linguística, e desenvolve pesquisa em Teoria e Análise Linguística, atuando principalmente nos seguintes temas: fonologia, variação intra- e interlinguística, português, alemão e línguas indígenas, sobretudo línguas Macro-Jê. No âmbito do Programa de Pós-Graduação em Linguística/UFRJ, suas pesquisas encontram-se ligadas às linhas de Gramática na Teoria Gerativa e de Estudo das Línguas Indígenas Brasileiras, com projeto de pesquisa que focaliza a área de fonologia, sobretudo nos aspectos referentes às teorias fonológicas.

Helena Gryner

Helena Gryner

Lattes
Áreas de Atuação: Sociolinguística, Variação e Mudança linguística
Temas de Investigação: Variação do sistema verbal português
Resumo do currículo

Helena Gryner

possui graduação em Letras Neolatinas pela Universidade Católica de Petrópolis (1964) , mestrado em Linguística pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1977) e doutorado em Linguística pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1990) . Atualmente é PROFESSOR ADJUNTO IV da Faculdade de Letras e Professsor Adjunto IV da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Tem experiência na área de Linguística , com ênfase em Linguística Aplicada. Atuando principalmente nos seguintes temas: CONDICIONAIS, MODO VERBAL, CONEXAO INTER-ORACIONAL.

Kristine Stenzel

Kristine Stenzel

Lattes
Áreas de Atuação: Análise Funcional-Tipológica; Descrição e Documentação de Línguas Ameaçadas
Temas de Investigação: Línguas indígenas do noroeste amazônica: tópicos diversos de análise fonológica, morfológica, sintática e semântica; Investigação sociolinguística em regiões multilíngues.
Resumo do currículo

Kristine Stenzel

Professora Adjunta do Departamento de Linguística da UFRJ. Desenvolve pesquisa na área de análise, descrição e documentação de línguas indígenas braslieiras, com foco maior na região do alto rio Negro e as linguas da família tukano oriental: Kotiria (Wanano) e Wa’ikhana (Piratapuyo).

Lilian Ferrari

Lilian Ferrari

Lattes
Áreas de Atuação: Linguística Cognitiva, Pragmática, Análise da Conversação
Temas de Investigação: Construções Gramaticais, Dêixis, Atos de Fala, Discurso Reportado
Resumo do currículo

Lilian Ferrari

Possui Graduação em Psicologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1980), Mestrado em Linguística pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1985), Doutorado em Linguística pela University of Southern California, Los Angeles/ Universidade Federal do Rio de Janeiro (1994), e Pós-doutorado na University of California, Berkeley (2006). Atualmente é Professora Associada do Departamento de Linguística e do Programa de Pós-Graduação em Linguística da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Tem experiência na área de Sociolinguística (variação linguística e redes sociais) e atua, desde 1995, na área de Linguística Cognitiva. Sob a ótica da Teoria dos Espaços Mentais e da Gramática de Construções, investiga atualmente as relações entre estrutura linguística e significado pragmático, a partir do projeto “Espaços mentais, condicionalidade e (inter)subjetividade” (CNPq). É coordenadora do LINC – Grupo de Pesquisas em Linguística Cognitiva (http://www.grupolinc.com.br), vinculado ao Programa de Pós-graduação em Linguística da UFRJ. No âmbito do LINC, desenvolve pesquisas sobre o português brasileiro e o inglês, orientando trabalhos de IC, Mestrado e Doutorado sobre construções complexas (em especial, construções condicionais e construções completivas), construções com inversão de sujeito e dêiticos sociopessoais. É autora e co-autora de várias publicações nacionais e internacionais, entre as quais se destacam os livros “Espaços mentais e construções gramaticias: do uso linguístico à tecnologia” (Rio de Janeiro, Imprinta, 2009, org.) e “Introdução à Linguística Cognitiva” (São Paulo: Contexto, 2011).

Márcia Dâmaso Vieira

Márcia Dâmaso Vieira

Lattes
Áreas de Atuação: Teoria Gerativa, Léxico, Sintaxe, Morfologia
Temas de Investigação: Línguas Indígenas, Relações Léxico/sintaxe, Relações Sintaxe/morfologia, Categorias Funcionais
Resumo do currículo

Márcia Dâmaso Vieira

possui graduação em Português Inglês pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1977) , mestrado em Linguística pela University of Southern California (1981) , doutorado em Linguística pela Universidade Estadual de Campinas (1993) e doutorado em Linguística pela University of Arizona (1991) . Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Tem experiência na área de Linguística , com ênfase em Teoria e Análise Linguística. Atuando principalmente nos seguintes temas: línguas indígenas, sintaxe gerativa, pronomes argumentais, adjuntos.

Marcus Antônio Rezende Maia

Marcus Antônio Rezende Maia

Lattes
Áreas de Atuação: Teoria Gerativa, Sintaxe, Semântica, Psicolinguística
Temas de Investigação: Processamento e Representação da Linguagem, Morfologia, Interface Sintaxe/Semântica, Línguas Indígenas Brasileiras.
Resumo do currículo

Marcus Antônio Rezende Maia

Marcus Maia é doutor em Linguística pela University of Southern California – USC, (1994). Realizou estágio de pós-doutorado na área de Processamento da Linguagem como pesquisador visitante na City University of New York – CUNY (2003-2004). Atualmente é Professor Associado II de Linguística do Departamento de Linguística da Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Fundou e coordena o Laboratório de Psicolinguística Experimental (LAPEX), grupo de pesquisa da UFRJ, registrado no CNPq, em 2001. Coordenou o Grupo de Trabalho de Psicolinguística da ANPOLL no biênio 2006-2008. Atua nas áreas de Psicolinguística, Teoria e Análise Linguística e Línguas Indígenas Brasileiras, desenvolvendo pesquisas e orientando projetos sobre processamento sintático e lexical, teoria da gramática, línguas indígenas brasileiras, distúrbios da linguagem. http://marcusmaia.lapex.net.br

Maria Carlota Rosa

Maria Carlota Rosa

Lattes
Áreas de Atuação: Morfologia, Historiografia Linguística
Temas de Investigação: Análise morfológica, Produção pedagógica sobre as línguas e realização impressa
Resumo do currículo

Maria Carlota Rosa

Doutor em Letras (Linguística) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), título obtido em 1994, em regime de doutorado-sanduíche na Universidade Clássica de Lisboa/Biblioteca Nacional de Portugal. O grau de Mestre em Linguística foi obtido em 1983 na mesma Universidade, onde também se graduou em Português-Literaturas (Bacharelado e Licenciatura) em 1976. Na pesquisa, tem-se dedicado às áreas de Historiografia Linguística e Morfologia. No ensino —- no nível superior, no Departamento de Linguística e Filologia (graduação em Letras) e no Programa de Pós-Graduação em Linguística (mestrado e doutorado) da UFRJ; no ensino fundamental (5a. a 8a. séries), por 12 anos lecionou Português na rede pública municipal do Rio de Janeiro —- além das atividades como Professor trabalhou com a avaliação de material didático ao coordenar a área de dicionários de Língua Portuguesa em duas edições do Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) e ao participar da coordenação adjunta de livros didáticos de Língua Portuguesa da edição 2005 do Programa Nacional para o Ensino Médio (PNLEM).É sócio fundador da Sociedade Brasileira de Estudos Clássicos (SBEC). Atualmente é Professor Associado III da UFRJ.

Maria Cecília de Magalhães Mollica

Maria Cecília de Magalhães Mollica

Lattes
Áreas de Atuação: Sociolinguística, Linguística Aplicada
Temas de Investigação: Mudanças fonológicas e morfossintáticas em português, Usos linguísticos e sua transferência para práticas pedagógicas
Resumo do currículo

Maria Cecília de Magalhães Mollica

Possui graduação em Licenciatura Em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1972), mestrado em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1977) e doutorado em Linguística pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1989). Atualmente é professor titular da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Teoria e Análise Linguística, atuando principalmente nos seguintes temas: linguística, variação e mudança, educação, alfabetização e educação de jovens e adultos.

Maria da Conceição Paiva

Maria da Conceição Paiva

Lattes
Áreas de Atuação: Sociolinguística, Motivações funcionais para a variação linguística
Temas de Investigação: Advérbios temporais e locativos, Ordenação vocabular, Relações fala-escrita
Resumo do currículo

Maria da Conceição Paiva

A pesquisadora possui graduação em português/inglês pela Faculdade de Letras de São João Del Rei (1977), mestrado em Linguística pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1983) e doutorado em Linguística pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1992). Trabalhou na Univesidade Federal de Juiz de fora e, atualmente, é prof. do Programa de Pós-graduação em Linguística da Universidade Federal do Rio de Janeiro, sendo membro integrante do grupo PEUL, desde 1980. Tem experiência na área de Sociolinguística e Dialetologia e de análise linguística de orientação funcionalista. Atua principalmente na área de variação e mudança linguísticas, abordando temas como mudança fonológica, gramaticalização, ordenação de constituintes. No momento, suas pesquisas se voltam mais especificamente para a variabilidade posicional de circunstanciais temporais e locativos na fala e na escrita .

Maria Luiza Braga

Maria Luiza Braga

Lattes
Áreas de Atuação: Sociolinguística, Variação e Mudança Linguística
Temas de Investigação: Gramaticalização, Conectivos inter-clausais, Princípios atuantes sobre o uso linguístico
Resumo do currículo

Maria Luiza Braga

possui graduação em pela Universidade Federal de Uberlândia (1964), mestrado em Lingua Portuguesa pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1978) e doutorado em Linguistica – University of Pennsylvania (1982). Atualmente é professor titular da Faculdade de Letras. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Teoria e Análise Linguística, atuando principalmente nos seguintes temas: português do brasil, gramaticalização, categorias cognitivas e orações de tempo.

Maria Maura Cezario

Maria Maura Cezario

Lattes
Áreas de Atuação: Linguística Funcional
Temas de Investigação: Advérbios e locuções adverbiais temporais e aspectuais, Ordenação vocabular, Estudos diacrônicos, Mudanças semânticas e sintáticas
Resumo do currículo

Maria Maura Cezario

Possui graduação em Bacharelado e Licenciatura Em Português Literatura pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1989), mestrado em Linguística pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1994) e doutorado em Linguística pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2001). É professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro desde 1996 e atualmente está na categoria Adjunto IV. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Teoria e Análise Linguística, atuando principalmente nos seguintes temas: gramaticalização, funcionalismo, iconicidade, verbos transitivos, oração substantiva e ordenação de adverbiais temporais. Possui Bolsa de Pesquisa do CNPq- Nível 2. Recebeu o prêmio Jovem Cientista do Estado do Rio de Janeiro da FAPERJ (edital 2008).

Marília Lopes da Costa Facó Soares

Marília Lopes da Costa Facó Soares

Lattes
Áreas de Atuação: Teoria Gerativa, Fonologia, Sintaxe
Temas de Investigação: Línguas Indígenas, Interfaces Sintaxe-Fonologia, Traços suprassegmentais
Resumo do currículo

Marília Lopes da Costa Facó Soares

Marília LOPES DA COSTA FACÓ SOARES é Professora Associada IV do Museu Nacional/UFRJ e Pesquisadora nível I-C do CNPq. Doutora na área de Linguística (UNICAMP, 1992), sua tese de doutorado versou sobre a língua Tikuna, que, falada pelo maior grupo indígena da Amazônia brasileira, possui também falantes no Peru e na Colômbia. Prossegue com suas investigações sobre essa língua e conhece línguas da família Tupi-Guarani, assim como línguas da família linguística Pano. A tese de doutoramento defendida em 1992 foi publicada em livro: “O Supra-segmental em Tikuna e a Teoria Fonológica”. Volume I: Investigação de Aspectos da Sintaxe Tikuna. CAMPINAS : UNICAMP, 2000, v.1. p.185. Autora de 31 artigos completos publicados em periódicos e 26 capítulos de livros das áreas de Letras e Linguística, participou da organização de dois livros e de três livros de anais de congressos. Orientou 9 teses de doutorado, 12 dissertações de mestrado e finalizou ainda 1 co-orientação de doutorado e 1 co-orientação de mestrado, sendo em número de 23 os trabalhos de conclusão no âmbito da pós-graduação stricto sensu. Teve 12 bolsistas de iniciação científica com orientação concluída, além de ter concluído 02 supervisões de pós-doutorado. Atualmente é orientadora de 3 teses de doutoramento, 1 dissertação de mestrado e 2 bolsistas de iniciação científica (PIBIC/CNPq). Foi Presidente da Associação de Estudos da Linguagem do Rio de Janeiro – ASSEL-Rio (1995-1997), Diretora Adjunta de Ensino e Pesquisa do Museu Nacional/ UFRJ(março/1998-março/2002), representante do Fórum de Ciência e Cultura no Conselho de Ensino para Graduados e Pesquisa – CEPG – da UFRJ (1992-2001), subchefe do Departamento de Antropologia do Museu Nacional/ UFRJ (períodos: setembro de 1990 a agosto de 1994; dezembro de 1994 a novembro de 1996; janeiro de 2010 a dezembro de 2011) e chefe desse mesmo Departamento (período: setembro de 1992 a agosto de 1994). Possui atuação no campo da educação indígena, com assessoria, por mais de dez anos, a projetos diretamente voltados para populações indígenas. Coordenou projetos de colaboração com equipes francesas no âmbito do acordo CAPES/COFECUB (projetos: Línguas da Amazônia: Estudos de Modalidade Cognitiva e de Prosódia , 2002-2005 e Rede Franco-Brasileira de Estudos das Línguas Indígenas do Brasil , 1997-1998; 1999-2001). Atuou como pesquisadora no CNRS (1994), junto ao então Laboratório de Etnolinguística Ameríndia, atual CELIA Centre d´Etudes des Langues Indigènes d’ Amérique. Em 2003, coordenou e executou a parte de linguística do CD-Rom Magüta Arü Inü [Pensamento dos Magüta ], que, sob a coordenação geral de Priscila Faulhaber, recebeu o prêmio Rodrigo de Melo Franco de Andrade (IPHAN-2003) categoria inventários e acervos de pesquisa. Recebeu ainda, em 2000, 2002, 2004, 2006, 2008, 2012 prêmio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Cientistas do Nosso Estado) pela elaboração de projetos voltados para línguas indígenas. Foi coordenadora do Grupo de Trabalho Línguas Indígenas, vinculado a ANPOLL (períodos 2007-2008 e 2009-2010). Foi também coordenadora geral do Projeto Rede de Formação de Novos Pesquisadores em Línguas Indígenas Brasileiras (Projeto PROCAD – Programa Nacional de Cooperação Acadêmica CAPES (Edital Procad N 01/ 2007), que envolveu a UFRJ, a UNICAMP e a UnB (2008 -2010). Atualmente, é coordenadora do projeto “Fonética e Fonologia: modelos teóricos, variação e arquitetura de gramática” (Projeto PRODOC- CAPES) e coordenadora do Grupo de Pesquisa Línguas Indígenas: Variação, Cognição e Estudos de Fonologia, Gramática e História. É docente do corpo permanente nos Programas de Pós-Graduação em Linguística/UFRJ e   Antropologia Social (Museu Nacional/UFRJ) e docente colaborador no Programa de Pós-Graduação em Arqueologia (Museu Nacional/UFRJ).  Suas principais áreas de atuação são: teoria e análise linguística, línguas indígenas, linguística histórica e linguística aplicada.

Miriam Lemle

Miriam Lemle

Lattes
Áreas de Atuação: Teoria Gerativa, Processamento e Representação da Linguagem no Cérebro
Temas de Investigação: Relações entre Léxico e Sintaxe, Morfologia Distribuída, Neurolinguística
Resumo do currículo

Miriam Lemle

possui graduação em Letras pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1959), mestrado em Linguística pela University of Pennsylvania, USA (1965) e doutorado em Linguística pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1980). Fez pós-doutorado no MIT, USA (1985) e é Livre Docente pela UFRJ (1987). Atualmente é Professor Titular, Emérita da Universidade Federal do Rio de Janeiro e coordenadora do Laboratório LIFSS – Laboratório de Interface Sintaxe-Semântica. Tem experiência na área de Linguística, na linha de Gramática Gerativa. Está atuando como professora, orientadora e pesquisadora principalmente em temas voltados para a especificação dos mecanismos de interface entre a sintaxe e a semântica.

Tania Clemente

Tania Clemente

Lattes
Áreas de Atuação: Teoria e análise Linguística e Análise de Discurso
Temas de Investigação: morfologia, sintaxe e ergatividade em línguas indígenas; fonologia do português e análise de discurso do verbal e do não-verbal.
Resumo do currículo

Tania Clemente

possui graduação em Português-Russo pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1971), mestrado em Linguística pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1979), doutorado em Ciênicas pela Universidade Estadual de Campinas (1994) e pós-doutorado na Universidade Paris 7 (1996). Atualmente é professora adjunta da Universidade Federal do Rio de Janeiro, lotada no Setor de Linguística do Museu Nacional, centro onde desenvolve pesquisa com línguas indígenas desde 1981. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Teoria e Análise Linguística, atuando principalmente nos seguintes temas: análise do discurso, discurso e imagem, análise do não-verbal e descrição e análise das línguas Tapirapé (Tupi), Bakairi (Karib) e Yanomami (língua isolada).

Vera Lúcia Paredes

Vera Lúcia Paredes

Lattes
Áreas de Atuação: Sociolinguística e Linguística Funcional
Temas de Investigação: Referência Pronominal, Motivações funcionais para a variação linguística, Relações fala-escrita, Gêneros de discurso
Resumo do currículo

Vera Lúcia Paredes

Possui Licenciatura em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1970), Mestrado em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1975) e Doutorado em Linguística pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1988). Fez estágio de Pós-Doutorado na Universidade de Georgetown, EUA, Estados Unidos, na área de dicurso. Ano: (1994). Atualmente é Professor Associado II da Faculdade de Letras. Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Teoria e Análise Linguística e Sociolinguística, atuando principalmente nos seguintes temas: relações fala-escrita, gêneros de discurso,variação linguística, sujeito, pronomes.