Apresentação

Sexta-feira, 30 de junho de 2006
Heloísa Gonçalves Barbosa & Maria José Pereira Monteiro

Neste número 22 dos Cadernos de Letras, é nosso intuito dar continuidade à iniciativa inaugurada nos Cadernos de Letras 21 – Interação e mídia em sala de aula, de divulgação das pesquisas desenvolvidas no âmbito do Programa Interdisciplinar de Lingüística Aplicada, representadas pelos trabalhos elaborados pelos alunos do Programa no contexto das disciplinas que freqüentam como parte de sua formação como pesquisadores. Cada um dos trabalhos aqui incluídos reflete um estágio diferente no processo de formação desses futuros pesquisadores, desde sua participação em ainda como alunos de graduação, dentro da Iniciação Científica, passando pela fase de elaboração de seus projetos de dissertação, até a confecção desta última propriamente dita. Ao trazer esses trabalhos a público, temos o objetivo de incentivar o interesse de outros pesquisadores iniciantes de empreenderem suas próprias reflexões – não só a respeito de suas próprias práticas, como também das práticas correntes no mundo em que vivem, somo seres sócio-históricos que são. Visamos também dar visibilidade às atividades de ensino, pesquisa e extensão do Programa Interdisciplinar de Lingüística Aplicada.

Os artigos aqui reunidos sob a temática “mídia, ensino e tradução”, representam as Linhas de Pesquisa “Discurso e Práticas Sociais” e “Discurso e Transdisciplinaridade”, que compõem a Área de Concentração do Programa, “Interação e Discurso”. Essas Linhas de Pesquisa, reformuladas oficialmente em 2004, refletem, no presente, uma visão de Lingüística Aplicada como área de pesquisa interdisciplinar e transdisciplinar que tem como proposta de investigação a compreensão dos processos de uso da linguagem e de construção de sentido em diferentes contextos sociais (institucionalizados ou não). A proposta se reflete em projetos que se ocupam de práticas discursivas nas áreas de ensino/aprendizagem (material didático, letramentos, entre outros), tradução, produção, interpretação e performances literárias, performances identitárias, produção cultural em forma de mídia jornalística e televisiva, contextos digitais e multimidiáticos e outros.

A interdisciplinaridade, que é a característica mais marcante do Programa, bem como a transdisciplinaridade que perpassa seu aspecto pedagógico e que permite um nível elevado de trocas e interconexões entre seus Projetos de Pesquisa tornam-se claras também ao se observar que a elaboração de alguns dos artigos aqui incluídos foram orientados por outros professores do Programa, e não necessariamente pelos orientadores dos jovens pesquisadores.

Os quatro primeiro artigos que trazemos aqui são evidência da interdisciplinaridade do Programa, uma vez que trabalham na interface ensino / novas tecnologias de informação e comunicação (NTICs), sendo os dois primeiros dignos de especial atenção por dedicar-se a reflexões a respeito do ensino superior de pós-graduação, ainda pouco estudado no panorama educacional brasileiro.

Abre o número 22 dos Cadernos de Letras o artigo “Novas tecnologias e formação de novos pesquisadores”, da aluna Milena P. Mendes, orientada pela Profa. Dra. Sonia Zyngier, que faz uma análise detalhada do processo de construção do conhecimento em uma disciplina de curso de pós-graduação stricto-sensu. Milena mostra como a disciplina traz elementos inovadores, tais como a mescla de aulas presenciais com a utilização da Internet e a interação com pesquisadores sênior e em formação, atuando não só no Brasil, mas em diversos outros países. Milena demonstra a importância da atuação do professor como mediador da construção do conhecimento e não como mero transmissor de conhecimento consolidado.

Em seguida, apresentamos o artigo da aluna Patrícia Elizabeth Peres Martins que, orientada pela Profa. Dra. Kátia Cristina do Amaral Tavares, discute “O papel do professor na promoção da aprendizagem colaborativa em uma lista de discussão eletrônica”. Suas reflexões e pesquisa de cunho etnográfico baseiam-se também em disciplina ministrada em curso de mestrado stricto sensu, que se utilizou das novas tecnologias de informação para complementar as aulas presenciais com atividades on-line. Patrícia focaliza detidamente uma questão vital nesse tipo de atividade, ou seja, o papel do professor, com o que contribui para lançar maior luz sobre uma área ainda carente de maiores pesquisas. A autora analisa as interações on-line do grupo, demonstrando que a prática da docente de fato reflete sua crença na aprendizagem colaborativa, o que se reflete na atuação intensa e espontânea dos alunos no grupo.

Permanecendo na interface mídia / ensino, o artigo de Ana Paula Martinho da Costa, “A interação na sala de aula de línguas — co-construindo sentidos a partir do hipertexto”, elaborado sob a orientação da Profa. Dra. Kátia Cristina do Amaral Tavares, esmiúça a interação professor-aluno em aulas de língua estrangeira no ensino fundamental em escola pública, trazendo como aporte teórico as idéias de Vygotsky e Bakhtin. Ana Paula examina a inserção das NTICs nesse nível de ensino, focalizando especificamente o uso da Internet em sala de aula e a construção de sentidos a partir da leitura de hipertextos.

Já a aluna Sueli Mizubuti Büsmayer, com o trabalho “A inserção de novas tecnologias no ensino de línguas”, orientada pela Profa. Dra. Kátia Cristina do Amaral Tavares, estende o emprego das NTICs ao blog, o qual deu nova dimensão a um curso presencial de língua estrangeira. Sueli revê as teorias do psicólogo russo Vygotsky no que diz respeito à sua visão de linguagem e de construção do conhecimento, apontando possíveis relações entre esses conceitos e o uso de novas tecnologias no ensino/aprendizagem de línguas estrangeiras. O relato dessa experiência de uso do blog é apresentado para exemplificar tais relações e, dessa forma, tentar demonstrar como os princípios vygotskianos podem servir como fundamentação teórica para a inserção de novas tecnologias no ensino de LE.

Dando testemunho da diversidade de fases em que se encontra a formação dos alunos como pesquisadores, Alessandra Mitie Spallanzani, orientada pela Profa. Dra. Kátia Cristina do Amaral Tavares, com seu texto “Relações entre surdez, ensino-aprendizagem de línguas estrangeiras e novas tecnologias”, vem contribuir com o que denomina “uma revisão da literatura em relação às questões de surdez, de ensino e aprendizagem de línguas estrangeiras, mais especificamente de língua inglesa, e das novas tecnologias de informação e comunicação (NTICs) voltadas para ambientes educacionais”. A aluna apresenta um histórico do emprego de diversas tecnologias no ensino, bem como um breve histórico da educação para surdos, trazendo-os até o panorama atual. Encerra delineando sua “proposta de um desenho instrucional de material didático” em meio “eletrônico para a aprendizagem de língua inglesa por alunos portadores de necessidades auditivas”, proposta esta que deseja tornar objeto de sua dissertação de mestrado.

Ainda dentro do tema “mídia”, trazemos o artigo “Odeio neguinho atrevido” – manifestações racistas no site orkut” do aluno de Iniciação Científica Tiago Simões, orientado pelo Prof. Dr. Luiz Paulo da Moita Lopes, que, dentro da proposta da Linha de Pesquisa “Discurso e Práticas Sociais”, estuda os “processos interacionais e discursivos que subjazem à construção dos significados e das identidades sociais em contextos institucionais”, neste caso específico, a Internet. Em uma época em que a globalização e a Internet permitem um contato estreito entre as diversas comunidades do mundo contemporâneo, Tiago focaliza, tomando como exemplo a comunidade virtual 100% Branco, a interação em um contexto marcado por manifestações de preconceito de raça. Busca, por meio de uma análise crítica e multimodal do discurso, identificar de que maneira os membros dessa comunidade constroem suas identidades de brancos. A análise mostra que a identidade do branco é possibilitada através da construção negativa da identidade do negro.

Retornando ao tema ensino propriamente dito, apresentamos o trabalho da aluna Doris de Almeida Soares, “Provendo feedback escrito nos textos dos alunos: uma visão geral de duas abordagens distintas”, que orientada pela Profa. Dra. Aurora Maria Soares Neiva, ocupa-se da produção escrita de aprendizes de língua materna ou de língua estrangeira. Por meio de um exame da literatura disponível, Doris esquadrinha a dicotomia correção direta x correção indireta – ou seja: deve o professor alterar o texto do aluno para melhorá-lo, sem que este participe desse processo, ou deve o professor envolver o aluno no processo de melhoria da sua escrita, estimulando-o a revisar e a reescrever os seus textos em colaboração com os colegas? Doris conclui que, “independente do procedimento adotado, o momento do feedback é a oportunidade que o professor tem de oferecer uma atenção individualizada à escrita do aluno, que, de outra forma, é raramente possível sob condições normais de sala de aula”.

Dando continuidade ao tema “ensino”, passamos da questão da produção escrita para a leitura. Apresentamos o artigo “A leitura nos livros didáticos de língua inglesa”, em que a aluna Aline Provedel Dib, orientada pela Profa. Dra. Idalina Azevedo da Silva, examina os manuais do professor, os textos e as atividades didáticas propostas por duas coleções de livros-texto de inglês, visando identificar o tipo de leitor idealizado e a visão de leitura dos autores desses livros, bem como o que é esperado do aluno-leitor no ambiente escolar. Conclui que, embora os textos apresentados para leitura sejam interessantes, atuais, de variadas tipologias e interdisciplinares, as atividades sugeridas se resumem à extração de conteúdos e decodificação do texto, passando ao largo da formação de um leitor interativo e participante.

Da leitura em sala de aula de língua estrangeira, passamos para a leitura na sala de aula de língua instrumental, neste caso, o alemão. Orientada neste trabalho pela Profa. Dra. Myriam Britto Corrêa Nunes, a aluna Ana Cristina Silva dos Reis, em seu artigo “Dialogando com Vygotsky: a sala de aula de Alemão Instrumental” busca novamente o referencial teórico que informa de maneira intensa as pesquisas na área de ensino desenvolvidas pelo Programa Interdisciplinar de Lingüística Aplicada e promove o diálogo deste com sua experiência como docente. Ana Cristina procura ver como “o aprendiz-leitor constrói o significado do texto na interação sócio-histórica e como o professor dialoga com seu aluno” e conclui que o material didático que utiliza é um dos elementos que promove, de modo eficiente, tal interação.

Ainda na questão do ensino da leitura, trazemos interessante trabalho de um grupo de alunos de Iniciação Científica, Luana Machado, Tiago Cavalcante e Vitor Campos, “Morte e vida severina – da leitura no ensino fundamental e de suas conseqüências para os estudos literários do nível médio”, que orientados pelo Prof. Dr. Roberto Ferreira da Rocha, foram a campo investigar a prática da leitura em língua materna no nível médio em escola pública. O trabalho desses pesquisadores iniciantes combina metodologia etnográfica com análises quantitativas e deixa entrever o entusiasmo com que transformaram sua pesquisa em oportunidade de agir sobre a conjuntura sócio-histórica. Para esse grupo de alunos, a prática dramática é capaz de fomentar o interesse dos alunos pela leitura, assim tornando-os leitores participativos.

Para encerrar este número dos Cadernos de Letras, trazemos as pesquisas desenvolvidas dentro do tema “tradução”. Orientadas pela Profa. Dra. Heloisa Gonçalves Barbosa, na Linha de Pesquisa “Discurso e transculturalidade”, as alunas Regina Helena Ribeiro Mendes e Ana Paula Pires realizaram sua primeira incursão na análise do processo e do produto da tradução, utilizando o aporte teórico dos Estudos Descritivos da Tradução e, mais especificamente, dentro desta abordagem, os modelos para crítica de traduções propostos por Toury, Lambert, van Gorp e van den Broeck.

No artigo “Algumas estratégias na tradução inglês-português para dificuldades encontradas na dublagem”, Regina Helena toma por base a convergência de seus interesses profissionais de dubladora e professora de língua estrangeira para examinar o papel dos diversos participantes da sessão de dublagem na produção do texto final. Utilizando ainda a Skopos Theorie em sua análise, Regina Helena, através de vários exemplos, conclui que não se pode analisar apenas o produto “texto dublado”, mas que é preciso uma alentada análise do processo de geração deste produto para que se compreenda a importância e o papel desempenhado por cada participante desse processo.

Finalmente, no artigo “Crítica de duas traduções do poema ‘Pink dog’ de Elizabeth Bishop”, Ana Paula faz uma tentativa de aplicar os princípios dos Estudos Descritivos da Tradução na análise de dois poemas traduzidos, tentativa essa fruto de sua participação em uma disciplina optativa que cursou fora da Linha de Pesquisa pretendida para sua dissertação. Neste trabalho, Ana Paula examina aspectos micro e macro da tradução de Paulo Henriques Britto (Cadela Rosada, 2001) e tece uma breve comparação com a tradução produzida por Ivan Justen Santana (Cadela Cor-de-Rosa, 1995). Em sua crítica das traduções, Ana Paula tenta evitar o simples impressionismo e pautar-se por parâmetros teóricos estabelecidos.

Publicando esses artigos, os Cadernos de Letras, em sua 22ª edição, apresentam uma amostra do que vem sendo feito por alunos no Programa Interdisciplinar de Lingüística Aplicada, “trabalhos em andamento” realizados por pesquisadores em formação com a orientação de docentes do Programa. Com a publicação desses trabalhos, pretendemos incentivar a produção desses pesquisadores, bem como dar-lhes visibilidade e demonstrar àqueles que almejam uma formação em nível de pós-graduação que a pesquisa acadêmica é um caminho possível não apenas do ponto de vista de discussão de teorias, mas de ações que podem modificar a prática do homem como ser sóciohistórico.